• Home
  • /
  • Sobre
  • /
  • Resenhas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Entrevistas
  • /
  • Desafio
  • /
  • Contato
  • [Entrevista] Juliana Daglio

    Olá meus amores!
    Tudo bem?
    Hoje é dia de entrevista no blog. E vou apresentar para vocês a escritora Juliana Daglio, autora da duologia Uma Canção Para Libélula e do livro O Lago Negro.
    Espero que vocês curtam.



    1. Conte-nos um pouco sobre você. Quem é a Juliana Daglio?
     
    Juliana: Oi, Su e pessoal do blog! Bom, que pergunta difícil! Eu me considero uma pessoa com um pezinho na loucura, igual a Verônica (O Lago Negro), metade Libélula, igual à Vanessa (Uma Canção para a Libélula), e partes de todas as personagens que eu crio. Desde pequena eu invento histórias, e às vezes desconfio que vivo mais nelas que no mundo real. Sou uma pessoa tranquila, que prefere café e livros à academia e baladas. Sou apaixonada pelo mesmo homem há anos, e acho que ele é um príncipe saído dos livros, só que parte Sherek também, que é a parte que eu mais amo. Na real, sou psicóloga clínica e amo meu trabalho; sou filha, irmã e neta em tempo integral e acho que o maior de todos os reinos encantados é nossa família. :D

    2.  Como você descobriu que queria se escritora?
    Juliana: Já muito novinha eu comecei a ler muito, e cada vez mais ia engolindo as histórias. Quando eu tinha oito anos, eu disse para minha mãe que ia escrever um livro, e comecei a colocar no papel uma historinha que eu tinha em mente. Até hoje procuro esse caderno loucamente, mas não consigo achar. I
    A escrita sempre esteve em mim, e conforme fui crescendo eu tive que redescobri-la. 

    3. Você tem 3 livros publicados, Uma Canção Para a Libélula Parte 1 e 2 e O Lago Negro. Os dois primeiros livros é do gênero Drama e o terceiro seria um Suspense Jovem Adulto. Conte-nos um pouco sobre eles.
     
    Juliana: Uma Canção é um drama familiar que conta a história de Vanessa, uma pianista brasileira muito famosa na Europa. Com tudo para ser feliz e realizada, ela se sente incompleta, não sabe definir felicidade. Aos poucos o leitor vai entendendo sua apatia e seu jeito introspectivo, principalmente quando ela se vê obrigada a voltar ao Brasil para rever seu pai que está doente. Na casa onde passou sua infância moram os fantasmas que a predem ao passado, e mora também sua mãe, a mulher que a negligenciou e a culpou pelo grande trauma que a família viveu.
    O Lago Negro é sobre Verônica, uma garota mais jovem, em vias de mudar de cidade para fazer faculdade. Ela sonha em escrever seu primeiro livro, mas na balburdia da cidade grande isso nunca foi possível. Em Lagoana, uma cidade pequena e nebulosa, ela decide que pode se isolar e aproveitar o clima obscuro para escrever. Porém, um crime e a presença de um estrangeiro misterioso, acabam trazendo à tona algumas coincidências que a fazem questionar a própria sanidade. 

    4. Começou a publicar de forma independente e agora seus livros são publicados pela Editora Arwen. Conte-nos sua experiência com as duas formas de publicação.

    Juliana: Eu comecei com uma Editora mesmo, nunca tentei a forma independente. A Editora anterior e eu resolvemos interromper o contrato e a Arwen me acolheu logo em seguida. Com ambas editoras tive boas experiências e pude melhorar meus textos, conhecer pessoas incríveis e alimentar mais ainda meu sonho de viver da escrita.

    5. Você acha que o gênero fantasia e seus derivados tem um grupo seleto de leitores?
    Juliana: Eu vejo em grupos muitas pessoas dizendo só gostarem de ler fantasias. Antes, eu não pensava que um dia escreveria algo do gênero, mas hoje eu estou rascunhando um trabalho com uma veia sobrenatural. Me sentia um pouco incomodada com isso, mas descobri que não deveria. Existem leitores de todos os tipos e isso na verdade é bom. Acredito que haja sim um grupo seleto de leitores de fantasia. 

    6. Você acha que os escritores nacionais estão sendo reconhecidos pela mercado literário?
    Juliana: Isso tem melhorado muito! Em 2012, quando eu comecei a pesquisar como funcionava o mercado editorial, eu tive muito medo, pois havia pouca oportunidade para os nacionais, tanto por parte das editoras, quanto dos leitores. Eu vejo que a cada dia isso está mudando, e me sinto otimista com as previsões dos próximos anos. 

    7. Você teve dificuldade para escrever algum dos seus livros?
    Juliana: Sim, todos! Hahahahah
    Cada um vem com um desafio diferente, e eu tenho que me empenhar muito. Eu nunca entrego para a editora um livro escrito só uma vez. Uma Canção foi reescrito quatro vezes, O Lago 3, e Submersão, o livro 2 do Lago, estou reescrevendo pela quarta vez também. O leitor merece o melhor, então temos que reler, repensar, revisar e pensar em entregar a vocês o melhor livro possível. 

    8. O que você quer passar para as pessoas quando cria uma história?
    Juliana: Sempre coloco nas minhas personagens questionamentos e incompreensões que eu tenho. Na trajetória delas eu procuro crescer também, e ter uma mensagem para passar aos leitores. Com a Vanessa, quis passar que Depressão não é brincadeira, que ela existe e é grave. Com A Verônica, quis passar que todos temos fantasmas dentro de nós, e nem sempre nossa escuridão é ruim. Há beleza nas nossas partes mais obscuras, e podemos criar coisas belas através dela.
    Agora, no meu nome projeto, abordo temas como fé, Deus e religião, e não vou relevar a mensagem ainda, mas estou vivendo coisas incríveis e aprendendo muito com a minha personagem.

    9. Quais os seus projetos para esse ano, teremos novidades?
    Juliana: Yes! Não sei se ainda esse ano, mas estrou trabalhando em Lacrymosa, um drama com veias de Terror, que aborda os temas que falei na outra pergunta.
    E como certeza, dia 03 de Setembro, na bienal de São Paulo, lançarei Submersão, a continuação de O Lago Negro. 

    10. Quero agradecer por ter aceitado conceder essa entrevista. E agora peço que deixe uma mensagem para o seguidores do blog.
    Juliana: Su, eu que agradeço todo o carinho e a oportunidade de falar um pouquinho de mim e do meu trabalho pra vocês.
    Deixo aqui meu abraço, um beijo bem estalado no coração de vocês, e digo que se você tem um sonho, a primeira pessoa que tem que acreditar nele é você mesmo. Um dia eu era uma menina solitária e cabisbaixa com um manuscrito na mão, e hoje eu tenho exemplares, e um bando de maravilhosos malucos que os leem. E eu amo cada um deles. Cada um de vocês. Então, não desista e não deixe ninguém dizer que não vai dar certo.
    Com persistência, muito empenho, vai dar sim, senhores! 

    Livros da autora



    Para adquirir os livros da autora clique AQUI.

    Beijinhos!


    5 comentários :

    1. Suuu! É um prazer e uma alegria ter essa entrevista aqui!!
      Muito obrigada pela oportunidade e pelo carinho! <3

      ResponderExcluir
    2. Oi Su!

      A entrevista trouxe muitas informações que não conhecia sobre a autora Juliana. Infelizmente não li nada dela, mas sou encantada com as capas das obras e tenho muita vontade de ler O Lago Negro.
      Parabéns pela entrevista.

      Bjos

      ResponderExcluir
    3. OOi Su! Já conhecia a autora, mas sabia pouco sobre. Os livros dela parecem ser ótimoos, espero ter a oportunidade de lê-los algum dia.
      Ótima entrevista!

      Beijoos
      http://estantemineira.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    4. Oi, eu não conhecia a autora e nem as obras, adorei a descoberta rsrs e saber um pouco mais sobres escritores e sempre bom, adorei as capas dos livros e as sinopse me chamou atenção.
      Bjs
      http://nosleitoras.com/

      ResponderExcluir
    5. Eu sempre vejo post dessa autora no facebook e vejo toda a admiração do povo com ela, acho que hoje entendi um pouco porque, ela tem uma energia cativante. Ainda não li nada da autora, mas já estou curiosa e coloquei todos os livrinhos na lista

      ResponderExcluir

    Olá! Comente sobre o post acima :)
    Estou muito grata por você visitar o Era uma vez o... Livro
    Volte sempre! :D