• Home
  • /
  • Sobre
  • /
  • Resenhas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Entrevistas
  • /
  • Desafio
  • /
  • Contato
  • [RESENHA] Meu Vício - Duologia Meu Vício #1 de Kell Teixeira

    Resenha por: Suelen Fernandes
    Título: Meu Vício
    Autor(a): Kell Teixeira
    Editora: Bezz
    Gênero: Literatura Brasileira / Romance
    Páginas: 387
    Ano: 2015
    Compre: Loja Bezz | Amazon
    Adicione: Skoob
    Nota
    Sinopse: Elena Tyner é uma garota comum de dezenove anos que cursa psicologia. Devido a uma criação tradicional, assim como a sociedade em sua maioria, ela possui preceitos e preconceitos contra usuários de drogas, passando até ter repúdio pelos mesmos. Mas tudo muda quando ela faz uma entrevista com um usuário, se envolve e passa a ver o outro lado da história.
    Nesse drama é relatado de forma clara e espontânea a amarga experiência que é conviver, amar, e presenciar uma pessoa entregar sua vida para as drogas... Um caminho obscuro e muitas vezes sem volta...
    Falar sobre dependência química é muito forte, muito atual e de suma importância. Mostrar todo sofrimento do dependente e de todos ao redor de forma tão realista e interessante, faz com que a gente vivencie o sofrimento junto com Maycon e Elena. E sinta o amor surgindo no meio das trevas, da dúvida. Um amor puro e sincero, porém não aceito.

    Elena Tyner é uma garota de dezenove anos e está cursando Psicologia. Ela tem uma família bem estruturada e foi ensinada a ter alguns ideais. Seus pais são policiais, então para ela a lei sempre foi muito importante. Na faculdade um professor passa um trabalho um tanto inusitado, os alunos terão que fazer uma entrevista com um viciado em dogras ilícitas. Mas Elena é tímida e não tem muitos amigos, mas por ser uma boa aluna ela não vai desistir de fazer o trabalho.

    Tudo dá errado para Elena, seus amigos marcam de ir numa clínica para dependentes químicos, mas no dia ela passa mal e não pode ir. O dia de entregar o trabalho se aproxima e ela ainda não conseguiu sua entrevista, até que em um ponto de ônibus ela dá de cara com um dos alunos da faculdade. Maycon é um viciado e todos da faculdade sabem, ele vendo o desanimo de Elena decidi conceder a entrevista e a partir desse dia a vida dos dois muda.

    Maycon vem de uma família rica e sempre teve tudo que quis, mas quando ainda era criança os seus pais se divorciaram e foi aí que a vida dele começou a mudar. Aos treze anos ele conhece as dogras e nunca mais a largou. Hoje ele está com 20 anos e a cocaína é a sua paixão. Ele não consegue ficar um dia sem e isso está acabando com os seus pais e com a sua saúde. Assim que ele conhece Elena no ponto de ônibus sente algo diferente e fica muito magoado com a forma que ela olha para ele. Então ele decide conquistar a certinha e fazer ela pagar por se achar superior, mas conforme ele a conhece o seu sentimento muda e o amor nasce querendo fazer com que ele mude a sua vida, mas será que ele terá forças para largar a sua maior paixão chamada cocaína?

    Mas um dia, depois de ter apagado por dois dias, eu acordei e vi que não importa o quanto você tente, ainda que não dê motivos, as pessoas vão falar de você, e no fim das contas, foda-se para o que elas pensam a meu respeito.

    Se posso descrever esse livro em uma palavra é que é INTENSO. Ver como é a vida de um viciado não é fácil. O amor que nasce entre Elena e Maycon é lindo, mas passa a ser destruído pelas drogras. Conforme eu ia lendo me sentia impotente por não poder ajudar e acho que é assim que um familiar ou amigo de uma pessoa que usa drogras se sentem. Nas horas de lucidez o Maycon era um homem inteligente, simpático, romântico, uma pessoa maravilhosa. Mas quando estava drogado a arrogância e o sarcasmo aflorava, não adiantava argumentar com ele, Maycon tinha respostas para tudo.


    Elena se mostrou ingênua no começo do livro, ela achava que o amor poderia superar tudo, mas conforme a leitura vai correndo vemos que não é assim. Mesmo Maycon a amando desesperadamente a drogra falava mais alto e ele sempre se rendia a ela. Eu confesso que ficava triste quando via ele se entregar, parecia que era eu que estava vivendo essa história.

    Maycon é aquela mistura de adrenalina e perigo. Intenso demais para uma garota como eu...

    Essa história leva o leitor ao limite, chega uma hora que você não sabe quem está certo. Teve momentos que eu defendia a Elena, em outros eu defendia o Maycon. Cheguei a pensar que eles tivessem um amor doentio, mas no final consegui perceber que nenhum dos dois tinha culpa por tudo que estava acontecendo, as circunstâncias da vida os levaram a chegar a este ponto.

    Meu mundo é escuro demais, Elena, mas com o tempo você percebe que não precisa de luz para enxergar na escuridão.

    Uma coisa que me incomodou foi a atitude dos pais de Maycon, seu pai não aceitava o seu vício, mas bancava as drogas por não ter pulso firme, já sua mãe o mimava e acha que ele ainda era um bebê, não via que o filho estava errado e passava a mão na sua cabeça. Essa atitude fazia com que ele se sentisse confortável e não tinha porquê largar as dogras. Maycon também tinha amigos que incentivavam o seu vício e uma delas era a Jayde, essa menina era outra viciada e nunca tentou tirar Maycon dessa vida, eles moravam juntos e ela sempre o incentivava a continuar como estava, sempre que podia atrapalhava a vida de Elena e mostrava que não a suportava. Fiquei com raiva do Maycon por deixar a Jayde atrapalhar o relacionamento com a Elena. Mas o que tirei disso é que isso muitas vezes acontece na vida real, pais que aceitam a situação do filho e as pessoas que se dizem amigos e só quer afundar mais a pessoa que está viciada.

    Amei o tema que a autora abordou, nunca tinha lido um livro que o foco era um romance com um viciado e isso mês fez ficar mais perto de uma pessoa que tenha essa doença. Uma coisa é certa, nunca quero passar por isso e desejo de todo o meu coração que ninguém passe. Mesmo a história tendo uma carga muito dramática ela é fluída e envolvente, desde que comecei a ler não consegui parar mais. O final para mim foi muito coerente e mostra a realidade. Fiquei muito satisfeita como a história foi desenvolvida e como foi finalizada.

    Falando na edição. A capa está linda e mostra muito da história. A diagramação é simples. As folhas são amareladas. A fonte do tamanho ótimo para leitura. A história é narrada em primeira pessoa na visão dos personagens principais. Houve alguns erros de ortografia, mas nada que atrapalhe a história.

    Nada do que disse nessa resenha mostra o quão boa é a história, por isso recomendo que vocês leiam. Só assim, você leitor, saberá como essa história mexe com o nosso coração e quão linda é a mensagem que ela passa.


    3 comentários :

    1. Amei sua resenha, já quero muito ler :D

      https://submersa-em-palavras.blogspot.com/

      ResponderExcluir
    2. Oi Su, tudo bem???
      Eu gostei muito da capa do livro, mas principalmente do enredo. Gosto de histórias que contem drama e superação. Infelizmente tenho um parente que usa drogas e bebe há anos. Teve filhas, mas não quis sair desta vida. Pior de tudo é que ele vai se afundando e levando aos poucos todo mundo junto. Eu infelizmente me afastei, porque ele começou a ficar violento e eu não o queria perto de minha filha adolescente. Mas assim como o personagem ele declarou que ama a vida que leva. E que não pretende sair dela vivo, então deixei pra lá. Eu sempre admiro quem consegue sair disso e por mais que eu não consiga entender o que os levam a fazer isso com a própria vida, eu só lamento. Um xero!

      https://minhasescriturasdih.blogspot.com/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Essa história mexeu muito comigo. Uma história intensa e maravilhosa. Super recomendo! Maycon é impar.❤

        Excluir

    Olá! Comente sobre o post acima :)
    Estou muito grata por você visitar o Era uma vez o... Livro
    Volte sempre! :D